barulho no elevador

Barulho no elevador: O que fazer para solucionar?

Orçamento de serviço em elevadoresPowered by Rock Convert

Uma das questões que mais causam tensões em um edifício é o barulho em condomínio. As causas podem ser muitas: trabalhos, música muito alta, obras em apartamento, falhas nas instalações, etc. Nessa última categoria, os elevadores costumam ser particularmente problemáticos. O barulho no elevador costuma ser pior para quem mora nos últimos andares.

Elevadores barulhentos e as vezes sua solução é cara, dois ingredientes que promovem a discórdia.

No entanto, o síndico e os condôminos devem tentar resolver os ruídos no elevador antes que a questão se agrave, e para que não afete a harmonia do condomínio.

Na tentativa de ajudar nesse aspecto, através deste artigo vou comentar sobre o que é considerado ruído excessivo de acordo com a lei, quais são as principais falhas que os elevadores costumam sofrer e como gerenciar o problema do elevador barulhento. Separei pelos seguintes tópicos:

Se no seu prédio o elevador faz barulho e você quer resolver isso, não deixe de seguir a leitura. Vamos lá!

O que é considerado barulho excessivo?

Determinar um limite para essa situação é muito difícil.

Temos como base a Norma Brasileira (NBR) 10.151/2000, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que determina que o ruído em áreas residenciais não ultrapasse os limites de barulho estabelecidos:

  • 55 decibéis para o período diurno, das 7h às 20h;
  • 50 decibéis para o período noturno, das 20h às 7h.

Isso não quer dizer muita coisa, mas para se ter uma noção melhor, 50 decibéis é considerado um ruído/barulho saudável, como uma conversa em tom baixo, uma rua sem tráfego ou até mesmo um escritório com poucas pessoas.

De 55 até 65 decibéis, ele pode influenciar negativamente, é comum em local de trabalho com diversas pessoas, uma rua com trânsito normal, uma televisão ligada com volume médio.

Acima disso, de 65 até 70 decibéis, já é algo desagradável e que pode prejudicar em longos períodos, como por exemplo uma rua movimentada, secador de cabelo ou um restaurante muito cheio.

Quando um barulho no elevador é excessivo?

Primeiramente é bom entender que barulhos no elevador esporádicos, que ocorrem em alguns momentos e que não geram um distúrbio para os moradores – ou para um morador –  não é considerado um barulho excessivo.

Apenas no caso do barulho no elevador ser incômodo e a interferência sonora persistente que se pode considerar um barulho excessivo.

Para apartamentos no último andar o barulho no elevador costuma ser pior, já que a casa de máquinas fica na parte mais alta do edifício.

O barulho do motor do elevador pode ser percebido quando não há uma proteção acústica de acordo, o que gera um grande incômodo para moradores da cobertura.

No momento que alguém aciona o elevador e o motor começa a funcionar o barulho no apartamento de baixo pode ser terrível, suficiente para gerar noites em claro…

Se a situação do barulho do seu elevador está assim já é considerado um barulho excessivo.

Falhas que podem causar ruídos nos elevadores

Em primeiro lugar, é importante entender que elevadores são sistemas que possuem componentes diferentes.

A parte mais marcante é a cabine, que vai dentro de uma caixa de concreto onde o elevador sobe e desce correndo ao longo de uma pista que irá desacelerar em caso de emergência, enquanto um cabo a puxa.

A casa de máquinas, localizada no último andar do prédio é o coração do sistema. É composto do motor, polias e quadro de comando que fazem todo o trabalho.

Finalmente, há os cabos e contrapesos que permitem que a cabine suba e desça.

Naturalmente, todos esses elementos estão sujeitos a deterioração e falha, e identificar qual deles é a causa do ruído é o primeiro passo.

Quais partes do elevador podem causar ruído?

As portas do elevador podem quebrar com alguma facilidade, dada a sua utilização contínua. Estes podem ter um mau fechamento e impedir o bom funcionamento do elevador.

O controle do próprio sistema pode ser quebrado ou os trilhos ao longo dos quais ele é executado podem ter um problema estrutural que causa ruído.

Geralmente são as partes deslizantes que geram esses sons.

Outra parte que pode gerar perturbações sonoras são os cabos de aço que suportam a cabine. Em alguns casos, eles atingem as paredes por diferentes razões.

Os elevadores mais altos também têm uma corrente no fundo que ajuda quando ela sobe vazia.

Esse mecanismo, especialmente em sistemas antigos, pode ser a razão para sons que incomodam boa parte do edifício.

O principal motivo de reclamações de barulho no elevador está relacionado ao motor do elevador.

Motores mais robustos e sem um isolamento acústico da casa de máquinas do elevador podem ser um grande vilão para apartamentos na parte superior do edifício.

Em alguns casos, a existência de peças defeituosas pode desencadear em barulho. Estes seriam mal fabricados ou seus materiais não seriam adequados.

Eles tendem a quebrar mais facilmente e causar estragos mais cedo.

Além disso, se isso for combinado com uma instalação incorreta, os problemas associados podem ser enormes, com a consequente despesa.

Relação da manutenção com o barulho no elevador

Aqui temos uma parte importante que pode ser responsável pelo barulho nos elevadores.

Como você pode perceber, são inúmeros componentes do elevador que podem ser os causadores do barulho no condomínio.

E o principal responsável por esses equipamentos é a empresa de manutenção dos elevadores.

O técnico responsável pela manutenção preventiva deve realizar, mensalmente, a lubrificação e limpeza dos equipamentos do elevador.

E infelizmente não é o que acontece no mercado de elevadores do Brasil.

Hoje um técnico de elevadores chega a ser responsável por até 140 elevadores.

Ou seja, ele faz a manutenção de 140 elevadores em um mês.

Não há tempo hábil para uma manutenção preventiva adequada.

Preparei um texto onde mostro qual deve ser o plano de manutenção dos elevadores. Vale a pena ver clicando aqui:

◊   Qual deve ser o plano de manutenção preventiva de elevadores?

Muitas vezes o que se percebe no mercado são empresas de manutenção visando a modernização dos elevadores, e usam como justificativa o barulho gerado pelo elevador.

Em certos momentos isso pode ser um motivo plausível, mas em vários casos a simples manutenção adequada pode ser o suficiente para que os ruídos desapareçam – ou diminuam consideravelmente.

Como resolver os problemas de barulho no elevador?

Uma vez que as razões pelas quais um elevador pode gerar ruído e quando começam a ser consideradas irritantes são conhecidas, chaga o momento de enfrentar os problemas.

Existem duas situações diferentes, quando o edifício é novo e já está com barulho e quando o elevador não fazia ruídos e com o passar do tempo isso foi se agravando.

Quando o edifício é novo e logo que o proprietário recebe o apartamento com barulho, deve-se exigir da construtora que solucione essa questão.

É direito do morador a garantia de sossego e não pode receber um apartamento em que há um grande desconforto.

Existem inúmeros ganhos de causa de proprietários que receberam o imóvel com elevadores que faziam muito ruído.

A troca do equipamento, o isolamento acústico adequado ou até mesmo o direito de reembolso são as soluções para esse caso.

Para o segundo caso, o passo inicial é exigir da empresa de manutenção responsável pelo equipamento que solucione o problema.

O que pode acontecer – e que é o mais comum – é do técnico responsável não conseguir solucionar o problema e trazer uma solução muito cara, como a substituição do motor do elevador.

Ou até mesmo a modernização do equipamento.

Nesse momento o síndico e moradores ficam em uma saia justa; ter que aguentar o barulho ou gastar um alto valor para resolver.

Outra maneira – desconhecida para muitos – e que muitos síndicos estão adotando é a consultoria em elevadores.

A consultoria em elevadores pode ser a melhor maneira de se descobrir a verdadeira razão dos barulhos e qual a melhor forma para solucionar tal questão.

Além disso é uma excelente maneira de se exigir da empresa de manutenção que realize o que está estabelecido em contrato.

Se você nunca ouviu falar em consultoria de elevadores e acha que pode ser uma solução para o seu condomínio, veja mais em:

◊   O que é consultoria em elevadores e como ela pode me ajudar?

Finalmente, você sempre deve agir com a lei em mãos e as evidências relevantes.

É inútil revelar a existência de um problema se isso não puder ser provado.

Muitas pessoas relutam em colaborar, mas ter argumentos de peso é, no final, a melhor maneira para se resolver esses problemas.

Jurisprudência barulho no elevador

Para edifícios novos, são vários os casos de ganho de proprietários que receberam o imóvel com o barulho dos elevadores.

O que acontece é a troca do equipamento, o isolamento acústico ou até mesmo o reembolso da compra.

Para edifícios antigos, a empresa de manutenção pode ser considerada culpada quando se comprova que o barulho no elevador ocorreu devido ao serviço – ou a falta do serviço – que foi firmado em contrato.

Para esses dois casos é essencial a comprovação dos erros para que seja possível um ganho de causa.

Conclusão

Como você pode perceber, o barulho nos elevadores podem ser uma grande dor de cabeça para síndicos e moradores. Detectar onde está o barulho e solucionar isso pode ser uma tarefa difícil – e bem cara.

A manutenção preventiva adequada dos elevadores ou problemas estruturais do edifício são muitas vezes os principais motivos para a ocorrência de ruídos no elevador.

Conseguir exigir da empresa de manutenção uma solução adequada pode ser muito difícil, e o que mais se percebe são soluções extremamente caras.

Uma solução para isso pode ser através de uma consultoria em elevadores, algo relativamente desconhecido por síndico e moradores que pode trazer uma mudança substancial no funcionamento dos elevadores – e consequentemente no seu barulho.

Se você quiser entender mais sobre isso, não deixe clicar aqui.

Powered by Rock Convert

2 comentários em “Barulho no elevador: O que fazer para solucionar?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima