para-raio em condomínio

Para-raio em condomínio: Legislação e Manutenção

Um ponto de grande importância na gestão de um síndico é em relação ao para-raio em condomínio. Muitas vezes o síndico não sabe como proceder quanto a instalação e a manutenção do para-raio. Por isso preparei esse post para te explicar como você deve agir no seu condomínio.

Para facilitar a sua leitura, separei nesses seguintes tópicos:

Se você está com dúvida em algum desses tópicos que preparei, não deixe de seguir a leitura. Vamos lá!

Sistema de prevenção de descargas atmosféricas (SPDA)

Muitos síndicos não sabem, mas o sistema de prevenção de descarga atmosférica – também conhecido como sistema de para-raios – é de grande importância para proteção nos condomínios.

Quando um raio atinge um edifício protegido, a descarga elétrica percorre o para-raio, atinge o sistema de cabos e segue até atingir o solo, onde se dissipa.

São 2 os tipos de para-raios mais importantes no mercado, mais abaixo explico as diferenças entre eles.

Importância do para-raio em condomínio

O para-raio é fundamental para a segurança dos moradores, e a falta dele pode trazer inúmeros problemas, tanto para o condomínio quanto para os condôminos.

Danos estruturais no edifício

Sem um isolamento correto do para-raio em condomínio, um raio poderia romper a alvenaria do prédio, derrubando uma parte da estrutura e consequentemente trazendo grandes prejuízos ao condomínio.

Queima de equipamentos

E aqui vale tanto para o condomínio, em caso de queima de placas do quadro de comando do elevador, portões, câmeras, quanto para os moradores, com a queima de eletrodomésticos e outros equipamentos.

Risco de choque e morte

Há a possibilidade de pessoas tomarem choques enquanto manejam eletrônicos ligados na tomada. Também existe a possibilidade de moradores ou funcionários serem atingidos por uma descarga elétrica direta ou indireta, quando a corrente elétrica é descarregada no solo.

Problemas com o seguro do condomínio

Se o SPDA não estiver de acordo e for comprovado, o condomínio pode ficar sem receber a indenização da seguradora.

Por isso o síndico deve ficar atento tanto com a instalação do para-raio quanto com sua manutenção. Além do mais, quando o condomínio não possui ART ou está com o equipamento de para-raios sem manutenção, o síndico pode ser responsabilizado civil e criminalmente em casos de acidente.

Determinar qual o tipo de para-raio deve ser usado no seu condomínio é muito importante, por isso explico melhor como cada um deles funciona.

Tipos de para-raios prediais

Para-raio tipo Franklin

O modelo mais utilizado, é composto por uma haste metálica onde ficam os captadores – instalado no ponto mais alto do edifício –  e um cabo de condução que vai até o solo e a energia da descarga elétrica é dissipada por meio do aterramento.

O cabo condutor, que vai da antena ao solo, deve ser isolado para não entrar em contato com as paredes da edificação.

Para-raio de Melsens ou de Faraday

Com o para raio de Melsens, o prédio é envolvido por uma  armadura metálica e uma malha de fios metálicos com hastes de cerca de 50cm é instalada no seu telhado. As hastes devem ser conectadas a cada 8m e representam o sistema de captação de descargas, enquanto a armadura metálica é o sistema de condução. A malha é divida em módulos, que devem ter dimensão máxima de 10 x 15m.

Legislação sobre para-raios

De acordo com a Norma NDR 5419 da ABNT, a necessidade de proteção é evidente, por exemplo:

a) locais de grande afluência de público;

Powered by Rock Convert

b) locais que prestam serviços públicos essenciais;

c) áreas com alta densidade de descargas atmosféricas;

d) estruturas isoladas, ou com altura superior a 25 m;

e) estruturas de valor histórico ou cultural.

Você deve estar ciente que a maioria das estruturas necessitam de um sistema de proteção a descargas atmosféricas.

As contruções que não possuem para-raios devem conter um relatório técnico com sua devida ART (anotação de responsabilidade técnica) feito por um profissional capacitado alegando que a estrutura foi dispensada. Assim você garante que está fazendo tudo de acordo.

Manutenção de para-raios

Os para-raios devem ser checados semestralmente por uma empresa especializada em medição de resistência de aterramento para verificar as condições gerais do sistema.

Existem outros pontos importantes que devem ser verificados durante a vistoria. É interessante que você, como síndico, saiba o que deve ser feito na manutenção, assim você garante que todos os pontos estão sendo inspecionados de acordo.

  • A caixa d’água deve ser aterrada, pois é uma condutora de eletricidade. As antenas de TV por satélite, já que são fixadas nos pontos mais altos dos edifícios, também precisam estar aterradas.
  • Os cabos e captores deverão passar por limpeza e troca, em caso de quebra ou oxidação.
  • Hastes deverão estar bem esticadas e isoladores que devem estar bem fixados à estrutura.
  • Deve-se verificar se a luz piloto que fica no mastro não está queimada.

Caso o edifício seja atingido por um raio, o condomínio deverá passar por uma nova vistoria, independentemente de quando foi a última inspeção.

Após a vistoria e conclusão de todas as obras indicadas pelo especialista, o condomínio recebe um atestado de responsabilidade técnica – ART assinado por um engenheiro especializado.

Qual o preço de um para-raio predial?

Determinar o valor da instalação de um para-raio predial é difícil, já que isso depende de n fatores, como tamanho do edifício, tipo de para-raio, etc.

Para se ter uma base, um edifício que tenha uma área de cobertura de cerca de 20x20m, cerca de 400m², pode custar R$3000,00.

O custo de uma vistoria fica em torno de R$400, já incluindo o atestado técnico feito por um engenheiro especializado.

Para-raio protege quantos metros?

É muito difícil dizer qual é a área de proteção de um para-raio, pois varia muito do tipo de equipamento. Em geral a proteção é bastante limitada, da ordem de algumas dezenas de metros em volta da onde o para-raios está instalado.

Se o seu condomínio tem para-raio e o projeto foi feito por uma empresa especializada e tem uma ART assinada por um engenheiro, isso não precisa ser uma preocupação. O tamanho do seu condomínio foi levado em conta na realização do projeto e o para-raio irá garantir a proteção do seu condomínio.

Conclusão

O para-raio em edifícios é algo de grande importância para a segurança dos moradores. Com o para-raio bem instalado e com sua vistoria em dia você garante que está cumprindo com o seu papel de síndico, exercendo uma excelente gestão do condomínio.

Espero que esse post tenha te ajudado a tirar suas dúvidas sobre a instalação e a manutenção do para-raio. Assim como os para-raio requer uma atenção especial, os elevadores do condomínio também não podem ser esquecidos. Por isso recomendo que você veja esse post que preparei:

◊   Manutenção de elevadores: 6 perguntas que todo síndico precisa saber responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima