Saiba agora mesmo como definir o valor da taxa de condomínio!

Administrar um condomínio requer muita dedicação, organização e planejamento, pois vários são os desafios para gerir esse espaço. Entre estes desafios, destaca-se como deve ser estabelecida a taxa de condomínio de forma justa e racional, a fim de agradar os condôminos e também garantir a manutenção de áreas e serviços comuns.

Para elucidar esse ponto da administração de condomínio, fiz este post especialmente para você. Separei em alguns tópicos:

Inicialmente, vou comentar sobre a utilidade da taxa de condomínio. Depois, vou explicar como fazer o cálculo para definir o valor adequado da taxa, e por fim, a importância da contratação de uma empresa especializada para auxiliar ou até mesmo gerenciar esse valor. Boa leitura!

Para que serve a taxa de condomínio?

A taxa do condomínio tem como objetivo cobrir as suas despesas coletivas. Consiste, na maioria dos casos, em um rateio proporcional a cada unidade. Entre estas despesas coletivas, aponta-se a conta de água, luz, pagamento de funcionários, manutenção da área de lazer, elevadoresgaragem, entre outros.

Como muitos condomínios possuem problemas com inadimplência, é necessário criar mecanismos para evitar o caos financeiro. Contornar esse problema passa pela definição do valor da taxa de condomínio.

Convide os condôminos e explique como chegou a aquele valor. Ao entender o porquê do preço e qual o seu destino, os condôminos se sentem ativos no processo e tendem a manter as suas obrigações em dia.

Como definir a taxa do meu condomínio?

Apresentaremos logo a seguir um passo a passo que você deve seguir para calcular a taxa do seu condomínio. Confira as dicas e monte uma cobrança justa e eficiente!

Como definir o valor da taxa de condomínio

Estabeleça o critério entre fração ideal ou por unidade

Antes de realizar o cálculo, é necessário deixar claro se o critério a ser utilizado é fração ideal ou se a divisão deve ser feita de acordo com o número de apartamentos. Esta escolha influencia em todo o processo. Veremos a seguir a diferença entre eles:

Fração ideal

A fração ideal é aquela na qual o pagamento das unidades varia de acordo com o seu tamanho ou valor. Nessa lógica, coberturas pagam uma taxa de condomínio maior do que apartamentos simples, por exemplo.

Fração por unidade

Já quando o critério utilizado é o de unidade, é determinado que todos os apartamentos paguem a mesma taxa de condomínio, independentemente do seu valor ou tamanho.

Defina entre rateio e taxa fixa

Além de estabelecer o critério quando ao modo de cobrança da taxa (unidade ou fração ideal), é necessário estabelecer se a taxa deve variar de acordo com as despesas do mês anterior ou se deve adotar uma taxa fixa para todos os meses. Converse com os condôminos e chegue na alternativa mais viável para o seu caso.

Some as despesas fixas e eventuais

Logo após tomar estas decisões, você deve somar todas as despesas fixas que envolvem a vida financeira do condomínio, como as já citadas água, luz e salário de funcionários. Após fazer este somatório, chega-se ao valor que é necessário para realizar a despensa mensal do condomínio. O valor arrecadado durante a cobrança da taxa de condomínio deve ser superior a este valor.

Após fazer a soma destes gastos fixos de um mês, multiplique esse valor por 12 meses para chegar ao valor anual de custo para manutenção dos serviços e áreas comuns do condomínio. Lembre-se de utilizar o índice de inflação ao ajustar esse valor, para que ele se torne o mais ideal possível.

É importante considerar nesse valor despesas extras previstas, como obras de ampliação da área de lazer, reformas das áreas comum ou caixa d’água etc. Com isso, você garante o financiamento destas despesas extras para o condomínio.

Divida o valor entre os condôminos

Por fim, você deve dividir o valor resultante dos gastos com manutenção e previsão de despesas extras entre os condôminos (seja pelo método de fração ideal, seja pelo método de unidade). Após isso, leve seus cálculos para a reunião do condomínio, apresente-os, justifique-os e coloque-os para aprovação ainda no primeiro semestre.

Como economizar nos gastos do condomínio?

Infelizmente, a inadimplência é um problema constante em nossos condomínios. Além disso, as contas de luz e energia têm vivido constantes aumentos de preço. Com isso, é necessária muita cautela para conseguir, apesar dessas questões, manter as contas e a manutenção do condomínio em dia.

Para economizar, é necessário avaliar os gastos das contas e identificar onde é possível e onde não é possível realizar cortes de gastos ou até mesmo se livrar totalmente deles. Após essa etapa, você pode avaliar a contratação de fornecedores e prestadores de serviços mais baratos — ou até mesmo considerar a terceirização de alguns serviços — garantindo uma boa saúde financeira ao seu condomínio.

O que fazer quando a taxa de condomínio não é paga?

Embora seja uma obrigação, muitos condôminos costumam deixar de lado o pagamento da taxa de condomínio e essa atitude pode levar o inadimplente a enfrentar ações judiciais para que as taxas sejam devidamente pagas.

Para cobrar a taxa, o síndico pode e deve realizar a cobrança por meio de aviso de recebimento (AR) para o inadimplente — e, para tornar o processo mais fácil, não é necessário que exista o contato entre ambos.

A partir desse momento, o morador precisa quitar a dívida em até três dias úteis, ou indicar bens para leilão, cujo fundo arrecado deve ser utilizado para pagar os débitos referentes às taxas de condomínio.

Por que contratar uma empresa especializada no assunto?

A contratação de uma empresa especializada serve para dar maior profissionalismo a definição da taxa de condomínio, além de garantir a você maior tranquilidade e paz, mantendo, sobretudo, a qualidade dos serviços e um valor justo para as taxas.

Sendo assim, a taxa de condomínio é um instrumento essencial para o funcionamento do condomínio, sento utilizada para garantir serviços e manutenção de áreas comuns. Ela deve ser preparada de forma justa, eficiente e com a participação de todos os interessados: condôminos, síndico, trabalhadores e colaboradores!

Agora que você já sabe como definir a taxa de condomínio, talvez tenha dúvidas sobre outros assuntos que envolvem esse quotidiano. Que tal então conferir nosso texto sobre como fazer uma boa gestão de condomínio? Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This